17 de ago de 2011

Yoga, Gravidez e Parto natural


Blog da minha querida irmã de alma...Malika...Todo meu Amor!


Gravidez! Qual o real significado deste estado? Para algumas mulheres, num primeiro momento, pode significar angústias, desespero, insegurança, medo... principalmente se a gravidez não foi planejada. Outras, no entanto, aguardavam ansiosamente e já tinham tudo programado, vivendo uma felicidade plena ao saberem da notícia. As reações variam, assim como todo o restante da gestação que é diferenciada de uma mulher para outra. Tudo corre de acordo com o corpo, mente e espírito de cada uma. O meio e os relacionamentos ao seu redor também influenciam muito, mas é a mulher quem vai ditar, consciente ou inconscientemente, o tipo de gestação e de parto que vai ter. 
E assim se inicia uma história que irá durar cerca de 40 semanas, onde estaremos gerando um novo ser, uma nova vida à esta existência. Pensem por um instante na importância desta “tarefa”! Não seria a mais sagrada e importante missão que alguém poderia receber? Isto é óbvio. Mas muitas mulheres não se dão conta disto, e continuam vivendo suas vidas, carregando a criança em seu ventre, mas sem se preocupar com as suas condições e de seu bebê. Não se trata apenas das condições físicas e de saúde...já não basta apenas fazer o pré-natal e todos os exames conforme o ministério da saúde nos orienta. É preciso muito mais! Estamos gerando uma nova consciência que está recebendo tudo de nós: alimento, sensações, percepções, sentimentos... tudo aquilo que ingerimos, ou seja, alimentos físicos e também sutis. E assim, este novo ser vai sendo criado, se preparando para entrar no mundo louco e caótico em que vivemos. 
E neste mundo, todas sabemos o quanto é difícil termos um tempo para nós mesmas. Difícil, não porque não temos tempo, propriamente dito, mas porque colocamos outras prioridades em nossas vidas. Mas basta analisarmos sinceramente o que andamos fazendo, para descobrirmos que podemos acordar uma hora mais cedo, ou reservarmos uma horinha antes de dormir para um contato efetivo com nós mesmas. Talvez, deixando de assistir àquela novela ou de ficarmos penduradas por duas horas no telefone com uma amiga. Não são sacrifícios se considerando os resultados. 
Ao descobrir que está grávida, a mulher deveria fazer um replanejamento de sua vida para os próximos meses, dando forte ênfase para a busca de seu equilíbrio, saúde, serenidade e muita, muita paz. E é neste momento que vemos muitas mulheres descobrindo no Yoga, um grande aliado. Certamente, pois o Yoga trabalha, dentro de uma visão holística, todos os aspectos mencionados, com inúmeros benefícios para a gestante e o bebê. 
Apesar de eu já trabalhar com Yoga para grávidas há algum tempo, só agora, estando esperando meu primeiro filho, pude sentir todas as transformações pelas quais uma gestante passa, e assim os aspectos que devem ser mais trabalhados em uma aula de Yoga, bem como as variações necessárias em cada postura, respeitando o corpo de cada aluna. Dediquei-me intensamente às minhas próprias práticas, o que me proporcionou um contato maior com meu corpo e sinto que muitos bloqueios de minha vida foram eliminados nesta gravidez. 
É um momento de grande sensibilidade para a mulher, o que pode gerar certos desequilíbrios, principalmente pela grande quantidade de hormônios que passam a perambular pelo nosso corpo. Mas se conseguimos uma maior interiorização, esta sensibilidade nos fará entrar de forma mágica, em contato com nossos instintos mais primitivos e ancestrais. Começamos a sentir uma força interna diferente de tudo o que já sentimos antes. 
Com a prática de ásanas (posturas físicas), a mulher fortalece sua musculatura e seu períneo (preparando o assoalho pélvico para o parto), auxilia a circulação sangüínea (prevenindo varizes, dores nas pernas, celulite, inchaços); traz flexibilidade para todo o corpo; fortalece a coluna (que precisa ser reforçada durante a gravidez, devido ao peso extra conforme a barriga vai crescendo), prevenindo dores nas costas e na lombar; alivia problemas de prisão de ventre, azia e falta de ar, estimula e fortalecer os seios, garantindo uma amamentação saudável e sem dor; equilibra o sistema endócrino (regulando os hormônios, que agora estarão mais presentes em nosso corpo); e além de tudo, devolve nossa consciência corporal, tão importante durante o trabalho de parto.
Os pránáyámas (exercícios respiratórios) liberam a energia vital em nossos canais sutis, desbloqueando os obstáculos em várias partes do nosso corpo e mente. A consciência da respiração é essencial para todos nós, mas principalmente para a gestante, pois é através dela que vamos aprender a lidar com nossas emoções, muitas vezes à flor da pele, com nosso corpo, com a dor e também a nos acalmarmos sempre que precisarmos.
Além destas técnicas, o Yoga enfoca, com bastante ênfase, no caso da gestante, o relaxamento completo, usando visualizações que ajudarão a mulher a entrar em contato direto com o bebê, desenvolvendo uma sintonia e um forte elo que se perdurará por toda a vida. Já está mais do que comprovado a eficácia destas visualizações, assim como a importância da mãe e do pai conversarem com a criança que ainda está no ventre. Após uma prática de Yoga, com nossas energias já equilibradas e a mente e o coração abertos, é hora de realizarmos esta viagem, que para maioria das mães é um momento de grande emoção e prazer.
Meditando regularmente, podemos tornar as sensações e benefícios do Yoga muito mais intensos, pois aprendemos a controlar nossas mentes, nos tornando suas líderes, ao invés de nos deixarmos levar por todo um turbilhão de pensamentos e emoções que podem nos ocasionar estados de angústia, stress, depressão etc. Por mais difícil que seja no começo, não devemos desistir e procurarmos dedicar alguns minutos por dia para a meditação. Várias técnicas são ensinadas em diversas disciplinas espirituais. Temos que encontrar aquela que se adeqüa a nós e continuarmos tentando. Muitas vezes desistimos por acharmos que meditação não é para nós, sem sabermos que na realidade, é a técnica que nos foi passada que não vai de acordo com nosso eu interior. Nunca podemos nos esquecer de que cada um de nós é um universo, e não existe um padrão a ser seguido, pois cada um tem seu próprio caminho. E é nisto que devemos no focar... a procura de nosso caminho. Aquele que, mesmo com muita disciplina (pois isso é realmente necessário), nos proporcione estados de extrema paz em nosso Ser. 
Contudo, não nos resta dúvida, e posso agora dizer isso comprovadamente, por experiência pessoal, que o Yoga é um grande aliado para a gestante, trabalhando de forma holística a mulher e o fruto que está gerando. Se a prática é feita com verdadeira vontade e disciplina, garanto que a mulher se sentirá até melhor do que antes, se sentindo mais feminina, e com seus instintos selvagens mais aflorados, nos preparando para a hora do parto, um momento de iniciação espiritual, onde vamos buscar em nosso inconsciente e no fundo do nosso Ser, toda a força e coragem que fizeram com que nossas ancestrais também tivessem seus filhos, para neste momento, estarmos passando, em uma época distante, por todo o processo que elas também passaram. Devemos este momento à estas mulheres, e portanto, devemos agir sem medo, deixando a natureza nos guiar, sentindo toda a dor e prazer que a experiência do parto natural pode nos transmitir. E assim, certamente, seremos muito mais femininas e mulheres do que antes!
Crianças geradas dentro desta consciência natural e ao mesmo tempo transcendente, certamente serão seres integrados com a visão holística de mundo que tanto lutamos para reestabelecer, com formas de pensar e de viver que se baseiem em valores humanísticos, saudáveis e em equilíbrio com a Força Cósmica que nos guia. E é apenas com uma nova geração, com tais ideais despertos desde o ventre, que poderemos garantir o equilíbrio, novamente, em nosso planeta!

Fotos: Malika a espera de Rudrah...Lindos!!! Namastê...)O(...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

๖๔΅˚◦.Minha Arte.◦˚΅๖๔