25 de mai de 2011

* Parto da Eloah - Casa de Maria


Parto Superação

Minha segunda gravidez foi inesperada, veio no momento mais difícil da minha vida.
Havia tomado a vacina de rubéola, e isso me preocupou mais ainda...até o 5° mês.


Me sentia deprimida por não ter planejado, por não saber como o bebê estava...
E mesmo assim me sentia feliz por ter uma nova vida se formando em mim.
E mesmo que essa vida pudesse vir ESPECIAL devido a vacina, me fortalecia dia a 
dia para aceitar os planos de Deus para nos......E aceitaria meu bebê como viesse.
Prometi a mim mesma que me ergueria, para levar em frente a gravidez e a criação de
meu filho Zion...Eles precisavam de mim forte e feliz...E assim o fiz com dedicação.
A família foi importante nesse momento, e não seria possível sem eles também...)O(...


Ao 5° mês fiz o ultra-morfologico e tirei “O” peso das minhas costas, enfim meu bebê 
estava bem, saudável e era uma MENINA...Papai (felizão) e eu a chamamos de Eloah...
Tudo correu as mil maravilhas, melhor que a primeira gestação...Sem enjôos, azias e
mal estar...Só sentia muita fome e sono...Me sentia iluminada e em paz comigo mesma.
No decorrer dos meses decidi que iria renovar meu lar, e fiz o que pude com o mínimo
que Deus preparava pra mim...Até que vi meus sonhos se tornando realidade dia a dia.
E a cada dia agradecia a Deus por me prover tudo o que necessitava de verdadeiro.

Enquanto os meses passavam e o parto ia se aproximando, comecei a pesquisar sobre
Parteiras e profissionais que pudessem fazer meu parto em casa...Mas sem sucesso.
Não tinha dinheiro pra pagar uma, então pesquisei o parto em casa desassistido...
Só eu, meu marido e meu filho estaríamos presentes, e alguém de carro pra alguma
eventualidade...Porém, meu esposo não sentiu confiança e não apoiou a idéia...
Como acho muito importante ele estar presente em todos os momento, afinal ele é o
pai da criança...Decidi deixar o tempo mostrar a melhor situação para o nascimento.
Tinha tudo combinado pra ter minha Eloah na casa de parto onde tive meu Zion...
Porém se a oportunidade real de ter ela em casa aparecesse, seria a escolha tomada.


Os dias se aproximavam e nada, nada de parteira, nada de dor, nada de nada...rsrsrs...
Andava todos os dias 40 minutos (ida e volta) ou mais para levar meu filho pra escola.
E essas caminhadas me faziam muito bem apesar dos inchaços nos pés e mãos...
Me mantive ativa, tranquila e alegre até o fim, mesmo nas adversidades rotineiras.
Por volta da 39° semana, não sentia nem muito cansaço, dor ou qualquer sinal p/ parto.
Estava super preocupada de ter de fazer uma cesárea na 42° semana, mas aceitaria
o melhor pra mim e pra Eloah...Seria o que Deus quisesse, porém eu orava sempre.
Orava pra sentir aquela dor que tanto esperava, pedia a dor pois só assim poderia
fazer minha parte de fêmea mãe...E ansiava a cada dia por senti-la em meu ventre.

Dia 01/05/2009
Acordei cedo e muito bem disposta, aproveitamos o feriado pra fazer faxininha.
Me sentia preocupada e ansiosa por sentir algo, mas não sentia absolutamente nada.
Fomos almoçar na casa de minha sogra, e lá estavam todos...Brincavam dizendo se
ela não queria sair...E eu brincava dizendo que não...ela estava feliz na barriga...rsrs.
A tarde quando estávamos pra ir embora e eles pra igreja, pedi a minha sogra para ela
orar pra Eloah nascer, pois o Ti (meu marido) ia começar a trabalhar 2° dia 4, e queria
que ele estivesse comigo durante todo o trabalho de parto e nascimento...
Se estivesse trabalhando, tinha medo dele perder esse momento nosso.
E por incrível que pareça...aconteceu...As orações foram atendidas...)O(
Deus e Eloah decidiram nos presentear com o sinal, as 7 da manhã dia 2.

Chegando lá fui ver a obstetra de plantão...Fizeram cardiotoco e toque...
Eu fui puxando papo com ela, dizia que meu 1° parto foi natural e tal, ela
ficou surpresa...E enfim falou que ficaria internada estava em TP, 5 cm.
Calmamente expliquei a ela minha vontade de ir ganhar na casa de parto.
Pedi para que ela justamente me falasse se seria possível ir pra lá ou não.
Ela com o olhar sério me disse que se fosse rápido seria possível e ela me
Deixaria sair “fugida” de lá...Afinal era uma atitude arriscada para as ambas.
Sorrindo disse que seria rápida e que Deus abençoasse ela por me liberar...
Saí correndo peguei a mão do Ti e fomos pra casa pegar as malas e som...
Minha mãe nos encontrou pra me levar pra casa de parto do Itaim Paulista.


Após uma viajem de carro nos encontramos com meu pai, que nos escoltaria
até lá, por saber chegar mais rápido e ter pesquisado o caminho mais rápido.
Chegamos (8 hrs) e guardado na mente como da última vez, tudo acolhedor...
Na minha cabeça, achava que estava pertinho de ganhar, afinal faziam quase
2 horas desde os 5 cm...A Enfermeira Magali (um anjo) fez outro cardiotoco
e outro toque...Constatou que estava com os mesmo 5 cm de 2 horas atrás.
Nesse momento fiquei surpresa...como assim??? AINDA!!! Ai ai ai...

Bom, me mantive calma e feliz...Terminamos de dar entrada e fomos ser
acomodados no quarto em frente ao que o Zion nasceu...Ainda rindo.
Deixamos as coisas e fui direto pro chuveiro quente, pra dilatar rápido...



No chuveiro eu brincava e ria com meu marido, estávamos alegres d+.
E dale chuveiro, andar no quarto, bola, cadeira, massagem, risadas, piadas,
carinho, cardiotoco e toque...Após 2 horas + ou -, ás 10, a mesma dilatação...
Comecei a me preocupar, mas não demonstrei nada...Continuei confiando.
Agora mais cansada e um tanto irritada comigo mesma, comecei a entrar
num transe involuntário de sono...Ia do chuveiro pra cama, cochilava e
acordava com a dor...Ia de novo pro chuveiro e depois pra cama dormir.


Quando percebi, as dores vinham acompanhadas da vontade de fazer “A”
Força...E pensei comigo que estava chegando a hora...Chamamos a Enf.
mais cardiotoco e toque... – Ainda está com 6 cm (nisso já eram ½ noite).
- Quando as dores chegarem, não faz força...Ou seu colo será machucado.





Nesse momento fiquei realmente preocupada e soltei algumas lagrimas
Silenciosas e desapontada comigo mesma...Por que meu corpo dorme?
Meu marido me olhando com um olhar de preocupação e solidariedade.
Ambos ali ficaram me olhando, e eu entre uma dor e outra, me esforçava
Pra não fazer o que o corpo me impelia a fazer...FORÇA...Muita força.
Respirava e gemia um gemido baixo de fêmea parindo, respirava de novo.
A enfermeira vendo meu esforço tremendo, começou a conversar e tentar
desanuviar o ambiente...Perguntava se praticava Yoga, se estudava algo
Místico, Ayurveda, Mantras, Meditação...Enfim tentava mudar meu foco.
Mas era em vão, eu respondia muito pouco e só gemia e respirava...



Então ela começou a conversar com meu marido...E eles conversaram por
Umas 1/2 hora...e por incrível que pareça, o papo animado deles me aliviou.


Nesse momento consegui cochilar por um “longo” período...Muito bom...
Quando despertei com outra contração, o Ti estava dormindo na cadeira, e
A Magali já não estava mais lá...Agora eram só eu, minha filha e Deus...


Olhei o relógio e eram 2 horas da manhã e as dores vinhas mais longas e
Intensas...Nesse momento me apeguei as orações, a minha maneira cheguei
a Deus e lhe pedi força para cumprir meu papel, e pra proteger a Eloah...
Pensava o quanto estava sendo difícil aquilo e até mesmo apavorante pra ela.
Mentalizava (pois falar já não era possível) energias de cura, anjos de Deus,
Sentia que estávamos protegidas, porém eu já não mais estava aquentando.
Pedia força, força pra suportar não fazer “A” força...Mas era incontrolável.


Olhava o sono solto de meu marido e não quis acordá-lo, precisava descansar.
Mas alguns gemidos em alguns momentos o despertava, perguntava se estava
Bem...Ou só olhava atento pra mim...E eu falava pra ele voltar a dormir.
Estava bem, sentia que Deus estava comigo em presença e não temeria o mal.
Após mais 1 hora e meia a força tomou conta de meu corpo, já não mais era
possível controlar...Entreguei de corpo e alma os restos das minhas forças.

Com um gemido mais forte (que ecoou até os ouvidos da Magali, na sala ao lado),
Vejo ela entrando porta a dentro para saber de nós...Fez o de sempre com seu olhar
meigo e acolhedor, constatando que era hora de ajudar a chegada da Eloah.
Sentia dentro de meu ventre um serzinho pesado e grande, tentando nascer.
Minha dilatação não estava completa, então fui avisada de que a bolsa seria
estourada pra avançar o TP...Com um toque indolor ela o fez, e disse também
que teria que ajudar com as mãos...Pra dilatar o restinho que faltava...
Nessa hora vi estrelinhas de todas as cores, gemia feito um fantasma...rsrsrs...
Enquanto era apoiada por meu marido, Magali e agora também a aux. Maria.
Meu marido como um bom profissional da saúde, quis ajudar e o fez sutilmente.
Eu estava agora no Planeta Parto, e éramos só eu e a Eloah, Deus nos guiava.


Magali havia tirado o restinho que faltava e direcionou a cabeça de minha filha, ela
estava descendo lentamente e torta...E eu quase sem forças ajudava como podia.

Após um longo trabalho de parto Distócico, que levou 29 horas (do ínico de tudo ao nascimento), deitada (pois as forças me faltavam), podia sentir o círculo de fogo esquentando minha Shakti e de repente ela veio, coroou, e era cabeluda.


Eu busquei em Deus e no olhar do meu marido a força que faltava pra ela nascer,
Foram 2 longas forças pra cabecinha dela sair por inteiro...E quando aconteceu,
Pensei que escorregaria como o Zion...

Mas ela com seus 3,470 não faria assim.
Com gestos firmes a Magali ajudava desencaixando a bebê, e eu ajudava com a força que meu corpo fazia naturalmente.



Dessa vez o maridão não esqueceu das fotos...rsrsrs...E tirou poucas e bonitas fotos.
Quando senti seu corpinho redondo saindo de mim, acordei de um sonho dizendo
alegremente e entre lágrimas...Olha que gorda!!! Olha que gorda!!! Rindo da vida.





Ela nasceu brava, com a testa franzida de uma pequena Taurina geniosa...^^
Chorou um pouco e foi só arrancar o pano
que nos impedia de nos tocar que ela calou.


Veio para meu peito e nos olhamos atentamente nos olhos enquanto saudava ela dizendo: Oi filhinha...Oi meu amor...como havia feito com seu irmão também...


Ela estava tão cansadinha quanto eu, mas não piscava e nem tirava os olhos de mim.
Olhos profundos e cheios de mistérios...

Olhinhos de gueixa ou mestiça?!?
Não, olhinhos de fadinha da mãe...
Orelhinhas de fadinha herdadas de papai...Amo!!!... 


E ao ver isso, meu marido se iluminou e me mostrou todo cheio de orgulho as orelhas.

Eloah chegou ao mundo com 3.470 e 49,5 de pura gostosura.
Apgar 9 e 10, 40 semanas de gestação e parto sem intercorrencia.
Na madrugada de domingo na lua crescente...Linda e Perfeita...)O(


Hoje por vocação me tornei Doula...Aspirante a parteira espero realizar esse sonho.


Ainda pretendo ter um 3° filho em casa e sozinha, mas isso é outra história...)O(

Não sei fazer esses video bonitos, a legenda ficou pequena, mas as imagens falam tudo.
Em Breve farei o do Zion também, meu gatão que completará 7 anos em outubro...^^



Em Zion achei a força do homem, achei a semente da vida e minha base p/ viver.
Em Eloah germinei a semente, amadureci o fruto e renasci mulher em sua vida.

Um comentário:

  1. que relato lindo......não tinha visto ainda.
    Parebéns!!
    Estou esperando a outra história rsrs por que eu tenho este mesmo sonho parir só...rsrs segredinho ta?! rs

    ResponderExcluir

๖๔΅˚◦.Minha Arte.◦˚΅๖๔